Você quer trocar o seu IPTU por um ingresso para o teatro?

Olá! Recentemente aconteceu um “causo” curioso comigo e gostaria muito de contar para vocês. Meu nome é Antonio Pedro, sou coordenador do Instituto Ipê Cultural . Algumas semanas atrás, ministrei uma palestra, convidado pela Amcham, para representantes das principais empresas de Uberlândia. O tema da palestra era responsabilidade social empresarial.
Faço parte de uma família tipicamente mineira e ao chegar da palestra, na mesa do almoço, já tive que contar “exatamente tudo”, como minha mãe gosta de pedir, do que foi dito na palestra. Ela queria saber como as pessoas reagiram, se elas participaram, se estavam sorrindo, rsrssrsr, enfim, todas as informações e detalhes que as nossas MÃES precisam conhecer . Meu pai estava mais tranqüilo, ele representava a Rec Transportes e assistiu a palestra. Para ele era só diversão da quantidade e curiosidade das perguntas da minha mãe. Umas das últimas perguntas que ela fez quando já estava um pouquinho mais tranqüila, era sobre qual assunto eu falei. No mínimo engraçado, não é?
Comecei a contar que a minha intenção naquela palestra era começar um processo de conscientização sobre os incentivos fiscais que nos são permitidos através de todas as leis de benefício fiscal.
A Rô, que cuida da gente lá em casa, me pediu para traduzir…rsrssrsr…”porque ela num tintendido nada”. Sorrimos juntos e tentei tangibilizar aquela frase.
Perguntei se ela pagava IPTU. Ela me respondeu que sim. Perguntei se na família dela tinha algum artista. Poderia ser um músico, um escritor, um dançarino, um pintor, um fotógrafo. Rapidinho ela me contou que conhecia a melhor banda de samba de roda de Uberlândia e já começou a sambar. Bom, já que ‘nossa’ Rô é sambista de escola, acredito que posso confiar 100% nela.
Então contei para ela que, aqui em Uberlândia, temos uma lei municipal nº 9274/2006, que incentiva a cultura. Expliquei que nossos governantes, aprovaram desde 2006, uma lei que permite o investimento de até 30% do famoso IPTU – Imposto Territorial Urbano – em projetos culturais. Ela, curiosa, me perguntou quantas pessoas já se beneficiaram da lei. Eu, infelizmente, tive que contar para ela que menos de 1% dos uberlandenses incentivam nossa cultura.
A importância da Consciência Fiscal
O que mais importa é que todos nós, uberlandenses ou uberlandinos como eu, ainda podemos começar. O principal, que é a lei, já foi criada.
Isso significa que pessoas físicas como a Rô e você, ou jurídicas como todas as nossas empresas, comércios, lojas, clínicas, hospitais adquiriram o direito legal de decidir como será o direcionamento da verba fiscal. Todos pagamos IPTU, invariavelmente no mesmo período, todos os anos, não é?
E, também acredito que todos nós temos um artista na família, ou na roda de amigos ou filhos de amigos. Com o incentivo da lei, podemos nos organizar para aproveitar um benefício fiscal. Com isso, aproveitamos para intensificar e profissionalizar nosso cenário cultural.
Para quem não conhece algum artista, os projetos aprovados estão disponíveis na Secretaria da Cultura. Você só precisa decidir o projeto que mais gostar.
Só uma observação e já termino a história.
As leis de incentivo fiscal significam o direito adquirido de direcionar valores e verbas fiscais para projetos que realmente são de utilidade pública, que possuem como objetivo o desenvolvimento de nossa Uberlândia. É a forma que nosso governo garante ,legalmente, a possibilidade de controlarmos como nossos impostos serão distribuídos. A forma mais prática de assumirmos a responsabilidade de cuidarmos da quantia que pagamos de impostos. E eu não preciso lembrar que vivemos num país com uma das maiores cargas tributárias do mundo.
De acordo com o CONFECON – Conselho Federal de Economia, nós brasileiros, trabalhamos aproximadamente 5 MESES para pagarmos impostos. No mínimo UM ABSURDO!!! É isso que passa pela minha cabeça quando comparo 5 meses do MEU salário com a qualidade da educação, da saúde, da cultura e de mais algumas necessidades básicas de nosso Brasil.
Os incentivos são oferecidos nas três esferas – Federal, Estadual e Municipal e, com a intenção de convidar todos vocês à participarem de nossa corrente, montamos esta tabelinha.

Imagem da tabela aqui!

Quando adquirimos Consciência Fiscal, aproveitamos a vantagem criada pelos nossos governantes para investirmos no projeto em que participamos, que possuem a mesma ideologia que a nossa, que gostaríamos de sermos padrinhos.